Levantamento destaca importância da ciência e das universidades públicas no combate à Covid-19

  • por

Um mapeamento realizado por pesquisadores do Projeto Ciência Popular da EACH-USP (Escola de Artes, Ciências e Humanidades da Universidade de São Paulo), na capital paulista, registrou mais de 2 mil ações realizadas pelas universidades e institutos federais brasileiros para combater os efeitos da pandemia do novo 

coronavírus em todo o Brasil.

Segundo os autores, o objetivo do levantamento é valorizar a produção científica e mostrar o quanto estas instituições de ensino e pesquisa contribuíram na busca de soluções (tratamentos, testes, vacinas, equipamentos de prevenção e suporte hospitalar) e no desenvolvimento de estratégias para a criação de políticas públicas de saúde para minimizar os impactos da pandemia na população. Saiba mais: 

O mapeamento, que envolveu várias regiões metropolitanas brasileiras e já é considerado o maior até o momento, mostra que a maior concentração foi registrada na Região Sudeste, com 896 ações mapeadas até o momento (44.7%), seguida do Nordeste (567), Sul (266), Centro-Oeste (142) e Norte (134).

Pelo levantamento, as Universidades Públicas Federais se destacaram com 868 ações mapeadas (43.3%), seguidas das Universidades Públicas Estaduais (616) e Institutos Federais (396). No que diz respeito ao tripé que norteia as universidades, a expressiva maioria (77.8%) ou 1.560 das iniciativas ficaram na categoria de extensão universitária, além de ações voltadas à pesquisa (340) e ao ensino (105). A USP contribuiu direta ou indiretamente com 413 ações, o que corresponde a aproximadamente 20% de todas as produções científicas do Brasil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *